Norma para a proteção das mãos

EN 420 REQUISITOS GERAIS

A luva é um artigo para salvaguardar as mãos e as partes das mesmas. A luva pode tapar parte do antebraço e do braço. O grau de prestação (normalmente um número de 0 a 5) indica o comportamento da luva num teste específico. Assim pode ser possível classificar o resultado desse teste. O nível “X” indica que a luva não foi testada para o risco correspondente; o nível “0” indica que a luva não alcançou os requisitos mínimos do teste. Um número elevado corresponde a um elevado nível de prestação.

RISCO MECÂNICO EN 388

  • a - resistência a abrasão (0-4)
  • b - resistência a corte por lâmina (0-5)
  • c - resistência a rasgado (0-4)
  • d - resistência a perfuração (0-4)
  • e - resistência a corte EN ISO (A-F)
  • f - proteção contra impactos EN (PASSOU OU FALHOU)

RISCOS QUÍMICOS EN374

  • Tempo de passagem >30 min. Para pelo menos 3 substâncias químicas da seguinte lista: A (Metanol), B (Acetuba), C (Acetonitrilo), D (Diclorometano), E (Bisulfuro de carbono), F (Tolueno), G (Dietilamina), H (Tetrahidrofurano), I (acetato de etilo), J (n-Heptano), K (Hidróxido sódico 40%), L (Acido sulfúrico 96%)

RISCOS DE FRIO EN 511

  • Caracteriza as luvas que foram testadas e verifica a resistência ao frio.

 

 NÍVEIS DE DESEMPENHO 0   1 2 3
4
 A. convecção Fria. isolamento térmico  1 < 0,10   1,10 < l < 0,15
0,15 < l < 0,22
 
0,22 < l < 0,30
 0,30 < l
 B. contato Fria. resistência térmica  R < 0,025    0,025 < P < 0,050  0,050 < P < 0,100  0,100 < P < 0,150  0,150 < R
 C. Teste de penetração de água
 Fracassado    Passou  -  -  -

 

RISCOS DE MICRO-ORGANISMOS EN374

  • Este pictograma assinala que a luva foi testada e verificada com a propriedade de resistência à passagem de microrganismos em testes de laboratório.

RISCOS DE CALOR E/OU FOGO EN 407

  • a - Comportamento em chama
  • b - Resistência ao calor por contacto
  • c - Resistência ao calor convectivo
  • d - Resistência ao calor radiante
  • e - Resistência às pequenas salpicaduras de metal fundido
  • f - Resistência às grandes massas de metal fundido

NORMAS RELATIVAS À LUVA

EN388 RISCOS MECÂNICOS

Requisitos:

  • a - Resistência à abrasão: indicada pelo número de ciclos suportados pela luva testada.
  • b - Resistência ao corte (de lâmina): indicada pelo número de passos necessários para cortar a luva testada em velocidade constante.
  • c - Resistência a rasgado: a força necessária para rasgar a luva testada.
  • d - Resistência à perfuração: a força necessária para perfurar a luva com um bico de dimensão standard.
  • e - Resistência ao corte: novo procedimento para o teste de corte também determina se borda da lâmina perda ocorra. Se a redução do gume da lâmina, o novo método de teste EN ISO 13997 torna-se a referência, enquanto que o teste de corte é apenas indicativa.
  • f - Proteção contra impactos: método de teste para áreas alegando proteção de impacto. P para superar, e nenhum código é aplicado em caso de falha.
  • Nos quatro primeiros casos, zero indica o nível mais baixo de proteção indicado na seguinte tabela:

ÍNDICE DE PRESTAÇÃO


0 2 3 4 5
a Resistência a abrasão (ciclos) <100  100  500  2000 8000
b Resistência a corte (fator) <1.2 1.2 2.5  5.0 10.0 20.0
c Resistência a rasgado (Newton) <10 10  25  50 75
d Resistência a perfuração (Newton) <20  20  60  100 150

A B C D E F
e Resistência ao corte EN ISO (Newton) 2 5 10 15 22 30
f Proteção contra impactos EN Passou ou falhou

EN 407 PROTEÇÃO TÉRMICA

Todas estas pruebas son facultativas, la presencia de una X en el sitio de una de estas cifras indica que la resistencia del guante a este particular riesgo no está probado.Todas estes testes são facultativos, a presença de um X no sítio de um destes números indica que a resistência da luva a este risco particular não está comprovada.

  • a - Resistência a inflamáveis: baseia-se no tempo que o material testado demora a ficar inflamado e depois incandescente depois de que se tenha retirado a chama.
  • b - Resistência ao calor por contato: baseia-se no limite de temperatura (100º - 500º) que o utilizador resiste sem dor por um período de pelo menos 15 segundos.
  • c - Resistência por calor convectivo: baseia-se no período de tempo durante o qual é capaz de retardar a transmissão de calor criado por uma chama.
  • d - Resistência ao calor radiante: o tempo necessário para que a luva alcance uma determinada temperatura.
  • e - Resistência a pequenas salpicaduras de metal: o número de gotas de metal fundido necessário para levar a luva a uma determinada temperatura.
  • f - Resistência a grandes massas de metal fundido: a quantidade (peso) de metal fundido necessário para causar o esmagamento ou perfurar uma pele humana simulada colocada diretamente debaixo da luva de teste.
  • g - O nível de prestação é indicado com um índice que vai de 1 a 4. Todas as luvas têm ainda de apresentar um nível mínimo de 1 para a resistência à abrasão e a puxões (rasgado).

ÍNDICE DE PRESTAÇÃO


2 3 4
teste b resistência ao calor por contato >100ºC  >250ºC >350ºC >500ºC
teste b resistência ao calor por contato >15 seg.  >15 seg. >15 seg. >15 seg.

NORMA EUROPEIA PARA CALÇADO DE PROTEÇÃO CE EN20345

Código de designação Classificação
I Calçado fabricado em couro e outros materiais, excluindo o calçado todo-borracha e todo-polímero.
II Calçado todo-borracha (vulcanizado) e todo-polímero moldado
  • SB: REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS, biqueira de aço com absorção de energia de 200 J, sola em qualquer tipo de material.
  • S1: REQUISITOS BÁSICOS, anti-estático, absorção de energia no calcanhar.
  • S2: REQUISITOS BÁSICOS, S1 + impermeabilidade no peito do pé.
  • S3: REQUISITOS BÁSICOS, S2 + lâmina anti-perfurante, sola de pitões ou entalhes.
  • S4: TIPO II, anti-estático, absorção de energia no calcanhar.
  • S5: Como S4 + lâmina anti-perfurante, sola de pitões ou entalhes.

SB S1  S2  S3 S4 S5
A CALÇADO ANTIESTATICO
-
E ABSORÇÃO DE ENERGIA NO CALCANHAR
X  X X  X X 
WRU IMPERMEABILIDADE NO PEITO DO PÉ - -  - -
P LÂMINA ANTI-PERFURANTE - X - X
CI ISOLAMENTO DO FRIO - - - -
HI ISOLAMENTO DO CALOR - - -
C CALÇADO CONDUCTIVO -              - -
HRO RESISTÊNCIA AO CALOR POR CONTATO -              - -

X: Significa que tem as características especificadas

Resistência à derrapagem

  • SRA: teste m cerâmica / solução detergente
  • SRB: teste em aço / glicerina
  • SRC: SRA + SRB

Comentário:

O sinal ¨CE¨ não é suficiente para estabelecer a qualidade do calçado, é também necessário analisar as siglas. A norma não indica o tipo de material, pode ser de pele ou sintética. A sola com coeficiente de aderência (antiderrapante) é obrigatória apenas no tipo S3.

EN20346 calçado de proteção igual à EN20345 com a diferença de que a biqueira resiste 100J.

EN20347 calçado para trabalho profissional quando não tem biqueira de aço.

EN345, EN346, EN347.

As normas indicadas são ainda válidas para modelos certificados antes da norma EN20345 / EN20346 / EN20347.

Norma Vestuário

Norma Geral de Vestuário EN340

É a regra geral referente à roupa e requisitos específicos relacionados com a inocuidade da peça, a ergonomia e a informação entregue pelo fabricante.

Norma de Vestuário Anti-frio EN 342

  • EN342: Norma relacionada com o frio em temperaturas inferiores a -5 º (por exemplo, frio extremo ou câmaras frigoríficas)
  • EN:14058:-5ºC.

Norma de Vestuário de Alta Visibilidade EN 471

GUIA DE DIVISÃO POR CLASSE

Dependendo das características de alta visibilidade cada indumentária, pode pertencer a uma classe das três exigidas pelo produto.

  • CLASSE 3: A faixa refletora deve ter uma altura mínima de mais de 50 mm e um mínimo da superfície total não inferior a 0.20 m².
  • CLASSE2: A faixa refletora não deve ter uma altura mínima de 50 mm e um mínimo da superfície total não inferior a 0.13 m² O material fluorescente deve ter uma superfície mínima de 0.50 m²
  • CLASSE 1: A faixa refletora deve ter uma superfície mínima de 0.10 m². O material fluorescente deve ter uma superfície mínima de 0.14m²

A título de exemplo, os fatos como casacos e calças encontram-se dentro da classe 3, os casacos de mangas de alta visibilidade em cor estão na classe 2, os coletes na classe 2 e as jardineiras estão na classe 1.

Além dos requisitos de superfície, devem seguir-se certas regras acerca da localização e distâncias das faixas refletoras e os riscos mínimos de descontinuidade entre as faixas. Por exemplo, ao usar um casaco certificado que esteja aberto, com uma interrupção da faixa refletora superior a 3 cm, é como se usasse um casaco não certificado.

Neste sentido, deve usar uma t-shirt, uma camisa ou um colete, também certificados, debaixo do casaco.

A limpeza também é um fator importante. Quando uma peça de vestuário está suja, perde as suas características de alta visibilidade e deve ser lavada. Nas indicações deve estar indicado o ciclo de lavagem indicado para a peça de vestuário para que esta não perca as suas características.

INDICAÇÕES: A etiqueta deve indicar:

  • Marca ou meios de identificação do fabricante ou representante
  • Nome ou código do produto
  • Tamanho
  • Norma de referência
  • Instruções para a manutenção e nº de ciclos de lavagem.
  • Pictograma

Pictograma no primeiro número (X) indica a classe de material, e o segundo número (Y) a classe de material refletor como coeficiente de intensidade luminosa.

EN343 NORMA ROUPA DE PROTEÇÃO DE CHUVA

  • X= Resistência à penetração da água.
  • Y= Resistência ao vapor de água.

Esta norma específica os requisitos e métodos de ensaios aplicáveis aos materiais e costuras da roupa de proteção contra os efeitos das precipitações (chuva, neve), nevoeiro e humidade do solo.

Requisitos:

Resistencia a la penetración del agua (Wp) en Pascal: La medición se realiza sometiendo el material externo y las costuras de la prenda a una presión del agua (980 x/-50) Pa/min. Dividido en 2 niveles (del 1 al 2) de menos a más impermeable.Resistência à penetração da água (Wp) em Pascal: a medição realiza-se colocando o material externo e as costuras das peças de vestuário sob uma pressão de água (980 x/-50) Pa/min. Dividido em 2 níveis (de 1 a 2) de menos a mais impermeável.

Resistência ao vapor de água (RET) em (M².PA)/WP: mede a resistência à evaporação. Quanto maior for essa resistência ao vapor, maior obstáculo pressupõe ao vapor de água: um produto transpirável tem uma baixa resistência à evaporação. Dividido em 3 classes (1 a 3) de menos a mais transpirável.

Norma de Vestuário para utilizadores de serras manuais com corrente EN 381

A lei regula como deve ser o vestuário de proteção para motosserras, e que especificações devem cumprir cada parte destas peças de vestuário.

  • EN381-5: especificações para a proteção das pernas
  • EN381-7: especificações de luvas de proteção
  • EN381-9: especificações para polainas de proteção
  • EN381-11: especificações para casacos de proteção

De cordo com a velocidade da motosserra, o produto encaixa numa das 4 classes.

  • Clase 0: 16 metros por segundo
  • Clase 1: 20 metros por segundo
  • Clase 2: 24 metros por segundo
  • Clase 3: 28 metros por segundo

Norma / TAMANHO

Tamanho

O cliente deve usar estas tabelas para confirmar o tamanho que necessita e confirmar que pode usar as nossas peças de vestuário.

As medidas que fornecemos nas tabelas são medidas anatómicas, do corpo humano despido e não da peça em si. Quando fabricamos uma peça de vestuário, devemos adicionar uma folga para conseguir a comodidade e conforto desejados. Essa folga varia segundo o desenho, o tecido, sexo, etc., tornando-a numa peça de vestuário mais ou menos ajustada.